Deixe seu e-mail e receba dicas exclusivas para alcançar sua independência financeira!

CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER NOVOS ARTIGOS E DICAS SOBRE FINANÇAS PESSOAIS E INVESTIMENTOS!

Renda Fixa X Renda Variável: Qual a Proporção Ideal?

  • Davi Augusto
  • 11 de junho de 2015

Ao montar sua carteira de investimentos, muita gente tem dúvida sobre a proporção do dinheiro aplicado que deve ser destinado para renda fixa e a proporção destinada a renda variável.

Na maioria das vezes, essa proporção irá depender bastante do perfil do investidor.

Investidores conservadores devem focar a maior parte dos seus investimentos em renda fixa, pois são alternativas menos arriscadas.

Já investidores arrojados devem focar em investimentos de renda variável, pois são alternativas que, apesar de mais arriscadas, irão trazer a possibilidade de maiores retornos e maiores ganhos de capital.

Mas e quando o investidor não sabe ao certo o seu perfil?

Ou, mesmo sabendo o seu perfil, deseja ter uma carteira de investimentos diversificada e tem dúvida sobre o quanto de seu patrimônio deve ser alocado em alternativas mais conservadoras e o quanto deve ir para alternativas mais arriscadas?

Claro que cada caso deve ser analisado particularmente, levando em consideração os objetivos e as necessidades do investidor, mas um bom ponto de partida para você montar sua própria carteira de investimentos é usar a regra dos 80.

Como funciona a regra dos 80?


regra dos 80

A regra dos 80 leva em consideração a sua idade para saber a proporção adequada de investimentos em renda variável.

É simples: subtraia a sua idade de 80, e o resultado será o percentual de seu patrimônio que você deve direcionar para renda variável.

Assim, se você tiver 20 anos, deve alocar 60% em renda variável (80-20), e 40% em renda fixa.

Quem tem 40 anos aloca 40% de seu patrimônio em renda variável e 60% em renda fixa.

Apesar de ser bastante simples, essa é uma maneira bastante inteligente de começar a aplicar seu patrimônio.

A grande vantagem dessa regra é que, levando em consideração a idade do investidor, fará com que os riscos diminuam conforme vá se ficando mais velho.

Funciona assim… vamos supor que você tem hoje 25 anos.

Por essa regra, você irá destinar 55% de suas aplicações para renda variável, que são investimentos mais arriscados, e 45% para renda fixa, que são investimentos mais conservadores.

E realmente essa é uma boa proporção, visto que, com 25 anos, o investidor ainda é jovem e pode se expor a maiores riscos.

Caso você tenha prejuízo em alguns de seus investimentos, ainda terá um prazo muito longo para que suas aplicações recuperem o valor.

Já um investidor de 50 anos, não tem mais tanta margem para erros.

Normalmente, esse investidor já construiu um bom patrimônio ao longo dos anos, fruto de seu trabalho e dedicação, e não compensa expor esse valor a riscos tão elevados.

O mais inteligente é investir para multiplicar esse valor de uma maneira constante, sem grandes variações no seu patrimônio.

Nesse caso, esse investidor alocaria então 70% em investimentos de renda fixa para conservar o patrimônio acumulado e apenas 30% em renda variável, para tentar ganhos maiores conforme a aposentadoria vai chegando.

Simples, porém eficaz!

Devo ressaltar novamente que essa regra dos 80 deve ser vista como um ponto de partida para montar sua carteira de investimentos, mas cada caso deve ser analisado particularmente, para se levar em consideração os objetivos e as reais necessidades de cada investidor.

E você? Também tinha dúvidas sobre como montar sua carteira de investimentos? Gostou dessa dica? Então cadastre seu email para receber gratuitamente as melhores dicas sobre finanças pessoais e investimentos e todas as novidades do blog!

compartilhe:

Curtiu esse post?

Deixe seu email para receber gratuitamente os novos posts e dicas do blog!

autor: Davi Augusto

Formado em Comércio Exterior e em Administração, atua como educador financeiro e consultor de finanças pessoais e investimentos.

Post Relacionados