Deixe seu e-mail e receba dicas exclusivas para alcançar sua independência financeira!

CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER NOVOS ARTIGOS E DICAS SOBRE FINANÇAS PESSOAIS E INVESTIMENTOS!

Quer ficar rico? Comece comprando ativos!

  • Davi Augusto
  • 10 de setembro de 2014

Quando o assunto é dinheiro ou finanças pessoais, é curioso notar que a principal vontade da maioria das pessoas é quase sempre a mesma: ficar rico!

Não há nada de errado nisso. Ficar rico também é uma vontade minha.

Porém, devo lhe avisar que você só vai enriquecer quando souber a diferença entre um ativo e um passivo, e começar a comprar ativos!

Ativos X Passivos: entenda a diferença


ativo x passivo

Para que tudo faça sentido, vamos começar identificando a diferença entre um ativo e um passivo.

Se você já estudou alguma coisa de Contabilidade, deve saber que ativos são todos os nossos bens e direitos, enquanto os passivos representam nossas obrigações (dívidas).

Assim, os ativos podem ser representados por diversos bens, como imóveis, investimentos, automóveis, terrenos, obras de arte, iates (para aqueles que possuem uma grana maior), entre outros.

Enfim… tudo que for de propriedade nossa (casa, carro, móveis) é considerado um ativo.

Já os passivos são todas as nossas dívidas e contas a pagar.

Isso tudo, é claro, de acordo com a Contabilidade.

Em finanças, pessoais, porém, é comum darmos uma outra definição para ativos e passivos. É uma definição que vai completamente contra àquela dada pela contabilidade, mas que faz toda a diferença no nosso bolso.

Em finanças pessoais, é simples: Ativo é tudo aquilo que coloca dinheiro no seu bolso. Enquanto passivo é tudo aquilo que tira dinheiro do seu bolso.

Viu como é simples? Comprou algum bem que é capaz de aumentar de valor e de ainda lhe render algum dinheiro? Ativo!

Comprou algum bem que, além de lhe obrigar a pagar juros mensais, ainda fará com que você gaste uma boa grana com impostos, manutenção, taxas e outras despesas em geral? Passivo!

Vamos entender melhor…


Para a diferença entre um ativo e um passivo ficar mais simples de entender, gosto de dar o exemplo de um automóvel.

De acordo com a Contabilidade, quem compra um carro está comprando um ativo.

Isso porque, a pessoa está adquirindo um bem de valor elevado, que poderá usar na hora que bem entender.

Mas será que um carro é mesmo um ativo para seu bolso?

Vamos supor que você resolveu comprar um carro novo. Ao sair da concessionária, você saiu contente, por ter adicionado mais um bem ao seu patrimônio. Talvez vendedor de carros tenha até lhe parabenizado pelo fato de você ter feito um ótimo investimento.

Mas, na verdade, com o tempo você vai perceber que talvez isso não tenha sido realmente um investimento…

Se você tiver financiado esse automóvel, primeiramente irá gastar um bom dinheiro com os juros, que não serão nada baratos.

Depois, você terá que considerar pagar o emplacamento do veículo. Também não pode esquecer de contratar um bom seguro. Claro, terá que pagar também o IPVA.

Fora tudo isso, você já deve saber que terá que fazer revisões no carro quase que semestralmente, o que também não sai nada barato.

Ainda tem os gastos com combustível, lavagem e pequenos reparos, como alinhamento e balanceamento.

E quando você quiser vender esse automóvel… Surpresa! Com certeza você irá vendê-lo a um valor bem abaixo do que você comprou.

Enfim… já deu pra perceber que um carro, em termos financeiros, trará somente despesas para seu bolso. Portanto, não pode ser considerado um ativo, muito menos um investimento.

Um carro é, então, um grande passivo!

Mas e a minha casa própria? Também é um passivo?


casa propria

Esse é um ponto que gera bastante discussão. Vejo muita gente falando da seguinte maneira: “Meu primeiro investimento vai ser minha casa própria”, ou “Pretendo me casar, e estou investindo em um apartamento para morar”.

Na verdade, casa própria não é um investimento, tampouco um ativo.

“Como assim? Mas comprei a minha casa própria e hoje ela já vale o dobro do valor que paguei.”

Sim, diferente dos carros, os imóveis tem um potencial de valorização. Mesmo assim, a casa própria não pode ser considerada um ativo, do ponto de vista das finanças pessoais.

Vamos entender: primeiro, você vai gastar um bom dinheiro com os juros que irão incidir no financiamento desse imóvel.

Depois, você também vai terá que pagar o IPTU. Também terão outras despesas, como pinturas e consertos em geral. Fora os gastos com o seguro do imóvel e as despesas para segurança.

Fora isso, se for em um condomínio, esse imóvel irá trazer outras obrigações, como a taxa de condomínio e taxas extras.

Quanto à questão de que a casa terá um potencial de valorização, ok. Mas dificilmente você estará disposto a vender esse imóvel, a não ser que alguém lhe ofereça um valor absurdamente maior que o valor de mercado.

Via de regra, quem compra casa própria, compra pensando em morar lá e construir uma família, e não pensando em vender daqui a um tempo.

Está vendo o que acontece? A casa própria, ao invés de fazer com que o seu patrimônio aumente, só lhe trará obrigações financeiras, que irão sempre tirar dinheiro do seu bolso, ao invés de lhe fazer ganhar dinheiro.

O mesmo acontece com nossos carros, casas de praia, motos, lanchas, terrenos não utilizados, etc…

Esses bens, ao invés de lhe fazerem ganhar mais dinheiro, trarão sempre mais despesas, o que na verdade só lhe deixará mais pobre.

Assim, são todos passivos!

E o que são os ativos?


bolso dinheiro

Agora acho que fica mais fácil de entender… um passivo é tudo aquilo que lhe gera obrigações e tira dinheiro do seu bolso, ativo é tudo aquilo que pode lhe deixar mais rico e colocar mais dinheiro no seu bolso.

Vamos tomar o exemplo de ações. Se você comprar ações, não terá nenhuma obrigação posterior de despesas. Basta comprar as ações e pronto, você não terá mais nenhum gasto.

Fora isso, as ações, no longo prazo, tem um grande potencial de valorização, o que pode fazer com que seu investimento se multiplique extraordinariamente. Além do mais, você também ganhará dinheiro pelo simples fato de possuir essas ações, sendo remunerado em forma de dividendos e de juros sobre capital próprio.

Portanto, temos aí um ativo!

Outro exemplo para ficar claro são imóveis.

Parece que estou me contradizendo? Deixe eu explicar…

Se você comprar imóveis para aluguel, certamente o valor que você receber mensalmente, será maior que as despesas com manutenção e impostos que irão incidir. Ou seja, no final das contas, você estará lucrando.

Outro ativo!

Há também pessoas que compram imóveis com o único intuito de vendê-los daqui a um tempo, ganhando um bom dinheiro nessa operação. Nesse caso, também irá deixá-lo mais rico e colocar mais dinheiro no seu bolso. Ativo!

Acho que agora deu pra ficar claro.

Outros exemplos de ativos são títulos do governo, CDB’s, aplicações em fundos de investimento, negócios próprios, royalties e direitos autorais. Todos esses exemplos irão contribuir para colocar mais dinheiro no seu bolso, mesmo que você não esteja trabalhando. Portanto, irão contribuir para que você fique mais rico!

 Ativo é tudo aquilo que coloca dinheiro no seu bolso. Enquanto passivo é tudo aquilo que tira dinheiro do seu bolso.

Apenas para esclarecer…


Com esse post, não tenho a intenção de dizer que comprar automóveis ou casa própria é um mau negócio. Muitas pessoas (eu, inclusive) tem a necessidade de possuir um automóvel. Outras pessoas, tem um grande sonho de possuir uma casa própria ou casa de praia, para passar mais tempo de lazer com a família. Isso é perfeitamente normal.

Meu propósito é apenas esclarecer que muitos bens que compramos achando que são investimentos ou que irão aumentar nosso patrimônio, na verdade nos trazem grandes obrigações financeiras e grandes despesas.

Para saber mais sobre a diferença entre ativos e passivos, recomendo a leitura do livro Pai Rico, Pai Pobre, de Robert Kiyosaki.

E você? Também concorda que uma das melhores maneiras de enriquecer é comprando ativos? Deixe seu comentário!

compartilhe:

Curtiu esse post?

Deixe seu email para receber gratuitamente os novos posts e dicas do blog!

autor: Davi Augusto

Formado em Comércio Exterior e em Administração, atua como educador financeiro e consultor de finanças pessoais e investimentos.

Post Relacionados