Deixe seu e-mail e receba dicas exclusivas para alcançar sua independência financeira!

CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER NOVOS ARTIGOS E DICAS SOBRE FINANÇAS PESSOAIS E INVESTIMENTOS!

Mudanças no Tesouro Direto: Ficou Mais Fácil de Investir!

  • Davi Augusto
  • 27 de fevereiro de 2015

Você tem vontade de investir em títulos públicos, mas se sente inseguro por não conseguir entender direito, ou por achar os títulos muito complicados?

LTN, NTN, LFT… todas essas letras realmente acabam dificultando a vida de quem quer começar a investir, mas não consegue perceber facilmente as características e vantagens de cada um desses títulos.

Se esse também é o seu caso, tenho duas notícias para você: uma boa e outra ruim.

A notícia boa é que o Tesouro Nacional resolveu alterar o nome dos títulos do tesouro direto.

Agora, ao invés daquela “sopa de letras” que não faziam muito sentido, os títulos receberão nomes mais simples, relacionados às características daquela aplicação.

Nesse post, irei explicar com detalhes todas essas mudanças no tesouro direto. Mas, para quem preferir, também gravei uma aula com todas as explicações.

Entendendo as mudanças no Tesouro Direto.


tesouro direto

O Tesouro Nacional resolveu adotar essas mudanças no tesouro direto depois de perceber que muitos investidores estavam tendo dificuldades para entender as diferenças entre os títulos disponíveis, pois não conseguiam identificar facilmente as características de cada uma das aplicações.

Vale lembrar que essas mudanças são referentes apenas aos nomes dos títulos. O modelo de negociação, prazos, características, taxas e rentabilidades irão continuar iguais.

Vamos entender agora qual era o nome de cada um dos títulos, e qual será seu novo nome:

LTN – Letras do Tesouro Nacional:

são títulos pré-fixados. Ou seja, sua rentabilidade é definida no momento da aplicação.

Além de se saber exatamente o quando irá receber de juros na data do vencimento desse título, outra vantagem é que, normalmente, esses títulos remuneram a uma taxa maior do que a SELIC, devido ao risco de oscilação.

Agora, o nome desses títulos será simplesmente TESOURO PRÉ-FIXADO. O que faz muito sentido, pois é um título pré fixado.

NTN-F – Notas do Tesouro Nacional Série F:

também é um título pré-fixado, com características quase idênticas à antiga Tesouro Pré-Fixado (antiga LTN), possuindo praticamente as mesmas vantagens e desvantagens. A única diferença entre os dois títulos é que as NTN-F possuem o pagamento de juros semestral, enquanto no Tesouro Pré-Fixado o pagamento de juros se dá apenas no vencimento.

Agora, o nome desses títulos será Tesouro Pré-Fixado com Juros Semestrais. Viu como faz mais sentido?

NTN-B Principal – Notas do Tesouro Nacional Série B Principal:

é um título pós-fixado, com sua variação acompanhando a variação do IPCA (índice oficial de inflação utilizado pelo governo), mais uma taxa especificada no momento da compra.

A grande vantagem desse título é justamente que sua rentabilidade sempre será acima da inflação.

Agora, o nome desses títulos será Tesouro IPCA +. Sim… o título remunera o IPCA + uma taxa especificada.

NTN-B – Notas do Tesouro Nacional Série B:

esses títulos possuem basicamente as mesmas características da NTN-B Principal, com as mesmas vantagens e desvantagens. A única diferença é que a NTN-B paga juros semestrais.

Agora, esses títulos passarão a se chamar Tesouro IPCA + com juros semestrais.

LFT – Letras Financeiras do Tesouro:

é um título pós fixado, que tem seu rendimento atrelado à variação da SELIC. Agora, o nome desse título passará para Tesouro SELIC.

Conclusão…


Particularmente, acho que esta foi uma ótima iniciativa do Governo, pois certamente irá facilitar muito o entendimento sobre as principais características do Títulos, e tornar esse tipo de investimento ainda mais acessível para pequenos e médios investidores.

Agora, apenas de ver o nome do título, já dá para entender como ele funciona, e como será a nossa remuneração.

Ah… no começo do post, eu disse que tinha uma notícia boa e outra ruim. Não me esqueci da ruim.

Essa notícia ruim é voltada especificamente para aqueles que sempre usam aquela velha desculpa: “Eu até tenho vontade de investir nos títulos públicos, mas não dá pra entender nada. É tudo muito complicado”.

Realmente, agora você não tem mais desculpas para não investir. O que já era uma ótima alternativa de investimento está ainda melhor!

E você? Também gostou dessas mudanças no tesouro direto? Acha que vai ficar mais fácil de entender?

Deixe seu comentário!

compartilhe:

Curtiu esse post?

Deixe seu email para receber gratuitamente os novos posts e dicas do blog!

autor: Davi Augusto

Formado em Comércio Exterior e em Administração, atua como educador financeiro e consultor de finanças pessoais e investimentos.

Post Relacionados