Deixe seu e-mail e receba dicas exclusivas para alcançar sua independência financeira!

CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER NOVOS ARTIGOS E DICAS SOBRE FINANÇAS PESSOAIS E INVESTIMENTOS!

Esqueça o seu Perfil de Investidor

  • Davi Augusto
  • 29 de agosto de 2017

Quero começar esse texto de uma forma até polêmica para quem já está querendo aplicar o dinheiro: saber qual o seu perfil de investidor é extremamente inútil.

Isso mesmo… para um bom planejamento financeiro pessoal, saber qual o seu perfil de investidor não vai trazer nenhuma utilidade.

Isso pode até parecer contraditório, pois quando abrimos uma conta em banco ou corretora de valores, uma das primeiras coisas que devemos preencher é o tal do Teste de Perfil de Investidor.

Os bancos e corretoras aplicam esse teste pois são obrigados por lei a, antes de lhe indicarem quaisquer alternativas de investimentos, saberem quais serão aquelas que mais se adequarão ao seu perfil.

Mas antes de te explicar porque você não deve levar nada disso em consideração, é importante saber o que é esse teste.

O Teste de Perfil de Investidor


A análise de perfil de investidor (API) é um questionário aplicado pelas instituições financeiras para conhecer melhor o perfil de cada investidor e ter uma base para indicar alternativas de investimento que estejam adequadas a cada perfil.

Na verdade, esse teste é uma obrigação da ANBIMA – Entidade que regula os mercados financeiros e de capitais – com o objetivo garantir que as instituições financeiras indiquem apenas produtos que estejam de acordo com o perfil de seus clientes.

Os diferentes perfis de investidor


Com a combinação das respostas dessas perguntas, será gerado um resultado do seu perfil de investidor, onde você descobrirá se seu perfil é:

  • Investidor Conservador: tipo de investidor que não deseja se arriscar na volatilidade dos mercados de renda variável. Possivelmente, irá precisar do dinheiro investido num curto prazo e não pode se arriscar a perder.
  • Investidor Moderado: esse tipo de investidor tem mais propensão para correr riscos um pouco maiores, mas nem tanto. Pode precisar dos recursos num médio prazo e pretende ganhar um pouco mais que a renda fixa tradicional.
  • Investidor Agressivo: esse tipo de investidor aceita e até gosta de correr riscos maiores para obter maiores retornos e faz investimentos pensando em prazos mais longos.

 

E por que esse teste não faz nenhum sentido?


Esse teste pode até ser interessante para quem não tem nenhum conhecimento sobre o assunto e se sente completamente perdido frente as diversas alternativas de investimentos.

Porém, conforme você vai ganhando mais experiência e definindo melhor quais os seus principais objetivos com seus investimentos, o resultado desse teste tende a não fazer mais sentido nenhum para você.

E acredito nisso basicamente por dois motivos:

O primeiro deles é o fato de ser praticamente impossível conhecer seu perfil de investidor, suas reais necessidades, objetivos e alternativas mais adequadas de investimento em um questionário que não demora mais do que 10 minutos para ser preenchido.

Isso seria reduzir seu planejamento financeiro – algo essencial para alcançar seus verdadeiros objetivos – a um processo extremamente simples e robotizado.

Não é assim que funciona!

Acredite… conhecer e entender seus reais objetivos como investidor e quais alternativas irão se adequar mais às suas necessidades é um grande processo que leva um bom tempo para ser maturado.

E isso só ocorrerá quando você tiver efetivamente colocado a “mão na massa”, depois de ter acertado e errado com seus investimentos e ter feito decisões que depois de um tempo você verá que não foram exatamente as melhores escolhas.

E o segundo motivo?


O segundo motivo é simples: NÃO EXISTE PERFIL DE INVESTIDOR, EXISTE PERFIL DE OBJETIVO.

Você já tem bem traçado os seus principais objetivos com seus investimentos?

Se não, está perdendo tempo e, provavelmente, tomando decisões financeiras que podem se revelar verdadeiras furadas daqui a pouco.

Uma boa decisão de investimento passa, primeiramente, por se conhecer para qual motivo se está investindo aquele dinheiro.

E posso te garantir que não existe um motivo só.

Nós temos diversos objetivos financeiros para os quais gostaríamos de investir: casa própria, troca do carro, viagem especial, aposentadoria… são vários.

E o correto é entender que cada um desses objetivos deve ser tratado de uma maneira diferente, com estratégias diferentes e até produtos de investimentos diferentes.

Para objetivos diferentes, estratégias diferentes


Por exemplo: vamos supor que você realize o teste perfil de investidor e descubra que o seu perfil é investidor agressivo.

Por outro lado, você tem um objetivo muito grande de fazer uma viagem especial com toda a sua família dentro do prazo de dois anos.

Lembre que o investidor agressivo é aquele que investe em alternativas arriscadas que tem alto potencial de valorização no curto prazo, mas que também podem se desvalorizar e trazer prejuízos rapidamente.

Para um objetivo tão importante e de prazo tão curto, será que seria uma boa decisão aplicar em alguma alternativa tão arriscada assim?

Provavelmente não.

Isso porque, caso essas alternativas despenquem de valor, dificilmente você terá tempo para esperar que elas se valorizem novamente e lhe traga os retornos necessários…

E vai acabar perdendo a viagem em família.

Agora vamos supor que o seu resultado tenha sido de investidor conservador, e que você tenha traçado que quer acumular um patrimônio para se aposentar daqui a 30 anos.

30 anos é muito tempo!

Será que vai ser uma boa você deixar o seu dinheiro em alternativas extremamente conservadoras, que irão fazer com que ele se multiplique bem devagarzinho?

Também acredito que não.

Para esse objetivo específico, pode ser interessante você aplicar parte do seu dinheiro em alternativas mais voláteis.

Elas são mais arriscadas, mas tendem a dar retornos maiores no longo prazo.

E, se daqui pra amanhã os preços caírem, você ainda terá um bom tempo hábil para rever suas estratégias, ajustar sua rota, e garantir seu principal objetivo.

Essa é também mais uma maneira de investir da maneira correta

Um bom planejamento financeiro é o ideal

Portanto, ao invés de procurar dicas rápidas (e que pouco irão lhe ajudar) para investir ou organizar as finanças, o que vai te trazer um melhor retorno é sentar, traçar suas metas e objetivos e fazer um bom planejamento financeiro pessoal

Essa é a maneira de garantir que você irá tomar as melhores decisões financeiras de acordo com seus principais objetivos.

compartilhe:

Curtiu esse post?

Deixe seu email para receber gratuitamente os novos posts e dicas do blog!

autor: Davi Augusto

Formado em Comércio Exterior e em Administração, atua como educador financeiro e consultor de finanças pessoais e investimentos.

Post Relacionados