Deixe seu e-mail e receba dicas exclusivas para alcançar sua independência financeira!

CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER NOVOS ARTIGOS E DICAS SOBRE FINANÇAS PESSOAIS E INVESTIMENTOS!

Como ter mais disciplina para organizar suas finanças

  • Davi Augusto
  • 14 de setembro de 2017

Não é raro eu conhecer pessoas que até tem um bom conhecimento sobre finanças, sabem sobre investimentos, mas parece que nunca conseguem se organizar e fazer sobrar dinheiro para investir.

Também é comum encontrar pessoas relatando que sempre fizeram promessas para iniciar a se organizar financeiramente, mas nunca conseguem de fato cumprir o que foi prometido.

Por que será que isso acontece?

Existem vários motivos para isso, e alguns deles eu até listei aqui nesse post.

Independente de qual seja o real motivo para isso acontecer, quero compartilhar uma dica que pode te ajudar a ter mais disciplina para organizar suas finanças e fazer com que você consiga investir todos os meses.

Juntar dinheiro para que mesmo?


Pode ser que o motivo de você não estar conseguindo organizar seja suas finanças seja que você ainda não definiu o “POR QUE?” você quer se organizar.

Assim, você até tem boa vontade no início, e sabe, pelo menos na teoria, o que deve fazer para começar a juntar dinheiro.

Mas, na prática, você percebe que juntar dinheiro não é tão simples quanto parece.

A sensação que dá é a de que o esforço para conseguir fazer sobrar dinheiro é muito grande, e fica parecendo que você terá que abrir mão de vários prazeres, vários luxos, apenas para juntar dinheiro.

Mas, afinal de contas, qual é o sentido de fazer esse esforço tão grande para conseguir organizar as finanças?

A verdade é que, apenas com uma boa organização financeira, você vai conseguir alcançar seus principais objetivos. E é para eles que devemos juntar o dinheiro.

Já traçou suas metas?


Uma boa ideia para começar a juntar dinheiro todos os meses é traçar seus objetivos e metas financeiras.

Mas, apesar de isso parecer bem simples, vejo muita gente se confundindo nesse ponto.

Algumas pessoas erram e definem apenas objetivos financeiros como: “juntar XX mil reais num prazo Y”.

Isso já é um bom começo, mas o ideal é definir algo que realmente você queira alcançar ou adquirir.

Então, ao invés de pensar somente em quanto dinheiro quer juntar, pense no que você irá fazer com aquele dinheiro.

Uma viagem com a família? Um carro novo? A faculdade dos seus filhos? Sua aposentadoria?

Como disse nesse outro post, o objetivo de um bom planejamento financeiro não é ganhar mais dinheiro, e sim tomar boas decisões financeiras que lhe permitam alcançar seus principais objetivos.

A lógica é pensar no dinheiro como uma ferramenta para lhe trazer maior qualidade de vida.

Definindo suas metas SMART


Além de definir suas metas, é importante que você defina seus objetivos da maneira correta.

Vou lhe explicar o porquê.

A maioria das pessoas acaba traçando os objetivos de uma maneira que não torna claro o que elas realmente querem, e não percebem ao certo o que devem fazer para alcançar essas metas.

E ai traçam objetivos genéricos como: “ter mais dinheiro”; “viajar”; “trocar de carro”…

Seu objetivo é ter mais dinheiro? Se alguém te der R$ 5,00 então você já vai ter atingido esse objetivo, correto?

Você definiu apenas que quer viajar? E se alguém te der uma passagem de ônibus para o interior do seu estado? Vai ter alcançado sua meta?

Provavelmente, esses exemplos que dei não iam lhe deixar satisfeitos caso esses fossem seus objetivos.

Então existe uma maneira correta para você traçar suas metas e definir exatamente o que você quer alcançar.

É o que é chamado de metas SMART.

SMART são características que devem estar presentes em uma meta, de forma que fique mais claro qual o seu objetivo.

É um acrônimo do inglês, e cada letra da palavra SMART significa uma característica que sua meta deve ter.

“S” de Específica (Specific): significa que você deve detalhar a sua meta. Quer uma viagem? Defina então para onde exatamente você quer viajar. Quer trocar de carro? Defina então qual o modelo e o ano do carro que você deseja.

M de Mensurável (Measurable): em algum ponto do caminho, você deve ter a capacidade de medir se está longe ou perto de alguma meta. Quanto falta para você alcançar esse objetivo? Nesse caso, você pode tornar essa meta mensurável sob o ponto de vista financeiro: “juntar XX mil reais para comprar o carro do modelo XYZ”; “juntar YY mil reais para viagem com a família para a cidade WXZ”

A de Orientada a Ação (Action-oriented): você deve ser o responsável por tomar as ações necessárias para alcançar aquele objetivo. A responsabilidade por atingir essa meta deve ser sua.

R de Realista (Realistic): não concordo que devemos sonhar pequeno… mas sonhar uma meta impossível para o momento talvez seja a maneira mais fácil de se sabotar. Trace metas ousadas, mas que você considere que sejam alcançáveis.

T de Temporal (time-bound): seu objetivo deve ter um tempo específico para ser alcançado. Em quanto tempo deseja fazer a viagem? Daqui a quanto tempo pensa em trocar de carro?

Agora que traçou suas metas da maneira SMART, vai ficar mais fácil saber o quanto você deve juntar por mês e traçar as estratégias de investimentos que se adéquem aos seus objetivos, como falo nesse post.

Pode parecer simples, mas te garanto uma coisa:

Traçando suas metas dessa maneira, vai ficar bem mais fácil você finalmente ter a motivação para começar a juntar dinheiro, pois sabe que o esforço que está tendo agora, será recompensado (com juros e correção monetária) no futuro!

compartilhe:

Curtiu esse post?

Deixe seu email para receber gratuitamente os novos posts e dicas do blog!

autor: Davi Augusto

Formado em Comércio Exterior e em Administração, atua como educador financeiro e consultor de finanças pessoais e investimentos.

Post Relacionados