Deixe seu e-mail e receba dicas exclusivas para alcançar sua independência financeira!

CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER NOVOS ARTIGOS E DICAS SOBRE FINANÇAS PESSOAIS E INVESTIMENTOS!

5 Passos para realizar seu Planejamento Financeiro Pessoal

  • Davi Augusto
  • 28 de agosto de 2017

Parece que toda vez é a mesma coisa: você promete para si mesmo que irá organizar suas finanças, gastar menos e aprender a investir melhor seu dinheiro.

Você está realmente comprometido com isso, pois já sabe que um bom planejamento financeiro pessoal pode lhe trazer enormes benefícios, e já não aguenta mais a sensação de estar estagnado financeiramente, de viver apenas para pagar as contas e nunca sobrar nada para si mesmo.

Você decide que vai mudar essa situação imediatamente!

Então você senta, mexe, olha algumas contas, procura umas faturas, tenta montar uma planilha, mas tudo parece tão complicado que simplesmente não sabe por onde começar.

E por ser tão difícil, deixa para começar outra hora, outro dia… e acaba se esquecendo.

E só vai pensar nisso de novo quando a situação parecer extremamente complicada.

Já aconteceu isso com você?

Pode ficar tranquilo, que esse não é um problema só seu. O que acontece na verdade é que fazer um planejamento financeiro é algo extremamente simples. O problema é que não fazemos ideia por onde começar, e acabamos não começando nunca.

Por isso, resolvi deixar aqui 5 passos extremamente práticos para você conseguir iniciar seu planejamento financeiro pessoal e organizar suas finanças agora mesmo!

Te garanto que, aplicando essas 5 dicas, você vai passar a ter uma visão muito mais clara da sua vida financeira, e vai ficar bem mais fácil para conseguir se organizar.

Preparado? Vamos lá!

#1 – Estabeleça suas metas


Um grande erro que vejo muita gente cometer ao tentar organizar as finanças é não ter seus principais objetivos definidos logo de início.

Ninguém quer juntar dinheiro somente por juntar. Ninguém quer investir pelo simples fato de investir.

Todo mundo espera alcançar algum objetivo maior com isso.

Você sabe pra que quer juntar dinheiro? O que esse dinheiro deverá te trazer?

A grande vantagem de ter seus objetivos bem definidos, é que isso certamente vai te trazer mais disciplina e motivação para fazer alguns sacrifícios financeiros.

Vai ficar muito mais fácil deixar de gastar o dinheiro agora, se você souber e tiver bem definido todos os benefícios que aquele dinheiro vai te trazer no futuro.

A casa dos seus sonhos? Um carro novo? Uma viagem especial com a família?

O objetivo é seu! Não tem certo nem errado. Defina aquilo que for importante para você.

Uma boa dica é tentar ser bastante específico ao estabelecer essas metas, definindo claramente os valores que você deseja alcançar, e em quanto tempo almeja tudo isso.

Trace também objetivos de curto, médio e longo prazo. Dessa maneira você vai entendendo que realmente conseguirá muitos benefícios financeiros no futuro!

#2 – Faça um levantamento da sua situação


Agora que você já definiu para onde quer ir, é importante saber com detalhes onde você está no momento.

Nesse passo, você deve levantar sua atual situação financeira.

Pode parecer um absurdo, mas tem muita gente que não sabe nem mesmo o quanto ganha por mês.

Como você pode tomar alguma decisão financeira desse jeito?

Chegou a hora de descobrir realmente o quanto você está ganhando mensalmente, e o quanto, em média você gasta também.

Em relação aos seus ganhos, caso você tenha um rendimento variável, o ideal é analisar um período de pelo menos 5 meses, para tirar daí uma média de ganhos mensais.

Caso você esteja endividado, é hora de encarar a verdade, e mapear todas as dívidas que você tem, para descobrir exatamente o quanto e para quem você está devendo.

Assim, vai ficar muito mais fácil criar um plano de ação para negociar e sanar essas dívidas o quanto antes.

E, claro, você irá também levantar os patrimônios financeiros e não financeiros que você já possui.

O importante aqui é descobrir exatamente onde você está em relação as suas finanças.

#3 – Defina seu orçamento


Agora que você já sabe exatamente qual a sua situação financeira e quais os seus maiores objetivos, chegou a hora de traçar um plano de ação.

Ou seja, descobrir quais tipos de decisões financeiras você deve tomar para alcançar os objetivos que você já traçou lá no passo 1.

Nesse passo, você vai estruturar o seu orçamento.

O ideal é traçar metas de ganhos e de gastos, e se comprometer a atingir os números que você definiu.

Para controlar os gastos, uma ideia interessante é separar seus gastos por categorias: alimentação, lazer, saúde, moradia… e definir limites de gastos para cada uma dessas categorias.

Depois de definir os limites de gastos, você deve acompanhar periodicamente a evolução de suas despesas, para verificar se está indo no rumo certo.

Para isso, você pode utilizar planilhas de controle financeiro que são disponibilizadas na internet, ou fazer uso de aplicativos de controle de gastos.

O objetivo aqui é fazer sobrar dinheiro e começar a investir para seus principais objetivos.

#4 – Invista e multiplique


Agora que você já está conseguindo ter dinheiro sobrando, chegou a hora de começar a investir essa grana!

Devemos enxergar os investimentos como uma maneira de dar uma maior dinamicidade ao dinheiro que poupamos.

É uma maneira de turbinar nossas economias. É fazer valer a pena o esforço que tivemos nos privando de gastos no presente, para conseguirmos alcançar nossos principais objetivos no futuro.

Gosto de falar algo que sempre parece contraditório: não invista procurando os melhores retornos.

Apesar de soar estranho, o que temos que levar em consideração na hora de investir é se aquela alternativa que estamos analisando será a melhor escolha de acordo com nosso objetivo.

De que adianta fazer uma aplicação em um determinado produto de investimento que apresente um excelente retorno, mas que você terá que deixar o dinheiro preso por 5 anos, se o que você quer é fazer uma viagem especial com a família daqui a 3 anos?

Deu pra entender?

É claro que é importante procurar bons retornos, mas somente quando esses rendimentos se traduzirem também em opções que estejam de acordo com o prazo de nossos objetivos!

Algumas boas opções de investimentos para começar são os CDB’s; LCI’s e LCA’s, Títulos Públicos e também Ações.

#5 – Controle e Acompanhe


De nada vai adiantar fazer um excelente plano financeiro, definir seu orçamento e decidir onde você irá investir, se você simplesmente deixar tudo isso de lado daqui a um tempo.

Apesar de muita gente achar que os 4 primeiros passos são os mais importantes, acredito que manter sempre um controle e um acompanhamento do que foi planejado é imprescindível para tudo isso dar certo.

É como se você já tivesse traçado uma rota, um plano de voo, e agora deve verificar periodicamente se está dentro do planejado, ou se terá que fazer alguns ajustes na sua rota.

Pode ser que seus gastos aumentem, que você tenha uma mudança brusca de renda, ou até mesmo que apareçam novas oportunidades que você não havia previsto antes, e que agora irão lhe fazer repensar tudo que você já havia definido.

Não há problema nenhum nisso! Um bom planejamento financeiro deve ser, antes de tudo, maleável.

Maleável no sentido de podermos fazer ajustes sempre que necessários ou quando nos sentirmos mais confortáveis.

Dessa maneira, você se prepara para tomar novas decisões em novas circunstâncias e diferentes contextos da sua vida, sempre revendo o que realmente é importante para você, e como você deseja usar seu dinheiro para te trazer mais qualidade de vida!

E então… viu como esses 5 passos são mais simples do que parecem? Está esperando o que para colocar tudo isso em prática?

compartilhe:

Curtiu esse post?

Deixe seu email para receber gratuitamente os novos posts e dicas do blog!

autor: Davi Augusto

Formado em Comércio Exterior e em Administração, atua como educador financeiro e consultor de finanças pessoais e investimentos.

Post Relacionados