Deixe seu e-mail e receba dicas exclusivas para alcançar sua independência financeira!

CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER NOVOS ARTIGOS E DICAS SOBRE FINANÇAS PESSOAIS E INVESTIMENTOS!

corretora de valores

3 Dicas para Escolher uma Boa Corretora de Valores

  • Davi Augusto
  • 4 de maio de 2016

Vou confessar aqui uma coisa… da primeira vez que eu abri conta em uma corretora de valores, eu quase não sabia direito o que eu realmente estava fazendo.

Vi em um curso que era mais vantajoso investir através de corretoras, e resolvi abrir uma conta na primeira que apareceu (que por sinal, era a mesma que estava patrocinando o curso que eu participei).

Mas na verdade, eu nem sabia direito por que era mais vantajoso investir através das corretoras ao invés dos bancos e nem sabia se aquela seria a corretora ideal para mim.

Pior de tudo… eu não sabia nem mesmo se aquela era uma instituição séria e confiável onde eu poderia investir todo o dinheiro que eu tinha.

Você também já passou por isso?

Abriu conta em uma corretora de valores mas não tem certeza se optou pela instituição certa para fazer seus investimentos?

Ou você está querendo abrir uma conta, mas, dentre tantas as opções que existem por aí, não sabe ao certo qual corretora escolher?

Continue lendo esse post para descobrir porque você não deve investir seu dinheiro através dos bancos, e quais as características que você deve analisar na hora de abrir sua conta em uma corretora de valores.

Banco X Corretora: por onde é melhor investir?


corretoras de valores

Essa é uma dúvida bastante comum, principalmente entre as pessoas que estão dando seus primeiros passos nos investimentos.

Já até gravei um vídeo explicando por que que você deve evitar os bancos na hora de investir.

Em resumo, você deve entender que banco é um ótimo lugar para ir… quando você precisa pegar dinheiro emprestado.

Mas quando seu interesse é investir seu dinheiro, é melhor pensar duas vezes, por alguns motivos:

# Gerentes de bancos não são especialistas em investimentos:

 

 

Os gerentes e os atendentes do banco possuem inúmeras atividades: tem que abrir carta de crédito, abrir conta poupança, analisar documentos, financiamentos, analisar limites, emitir cartões, etc…

Além de todas essas funções, eles devem também auxiliar os clientes no que diz respeito aos seus investimentos.

Com tantas tarefas assim, dificilmente o seu gerente do banco conseguirá ser realmente um especialista em investimentos.

Também é pouco provável que esse seu gerente tenha tempo disponível para acompanhar e analisar todas as notícias da economia e do mercado que podem impactar no resultado das suas aplicações.

Para piorar a situação, os gerentes possuem metas de produtos a serem vendidos, o que significa que às vezes eles poderão tentar lhe empurrar investimentos que não condizem muito com seu perfil de investidor, e que sejam vantajosos apenas para o próprio banco.

Nesse artigo, eu escrevi mais sobre como funciona essa dinâmica e conflito de interesses dos bancos, gerentes e clientes.

Mas enfim… acho que você já deve ter percebido que são grandes as chances de o seu gerente do banco não ser um especialista em investimentos que consiga lhe atender da maneira que você realmente deseja.

# As opções de investimento dos bancos são caras e não dão retornos tão vantajosos

 

culpado

Os grandes bancos, atendem a grande massa da população brasileira.

E não é preciso ser um especialista para saber que essa grande parte da população não possui níveis muito elevados de educação financeira.

Assim, os grandes bancos se aproveitam dessa situação e oferecem para seus clientes produtos de investimento ruins, que possuem baixo rendimento e altas taxas.

Em uma pesquisa rápida para esse post, vi que um desses grandes bancos, aquele que começa com “i”, possui um fundo de renda fixa que cobra uma taxa de administração de 2,20%.

Já em uma corretora na qual possuo conta, analisei fundos de investimentos semelhantes, e a taxa de administração mais alta que encontrei foi de 1%.

Acredite… essa é uma diferença absurda, principalmente quando falamos de fundos de investimento em renda fixa.

Tem um outro vídeo do Canal do Otário no youtube que explica muito bem essas taxas abusivas cobradas pelos grandes bancos. Vale a pena assistir para entender um pouco melhor.

E quando falamos de outras opções de renda fixa, como CDB´s, LCI´s e LCA´s, os grandes bancos também apresentam rendimentos bem inferiores ao que você poderia encontrar através de uma corretora.

# O cliente tem opções bastante reduzidas e limitadas

 

 

Qual a probabilidade da situação a seguir acontecer?

Imagine a seguinte situação… você vai ao BANCO S para pedir ao gerente algumas sugestões para investir seu dinheiro.

O gerente então analisa algumas opções que o banco possui, mas logo percebe que as opções dele não são as mais vantajosas do mercado.

Como ele está lá para ajudar e servir o cliente, ele volta para você e recomenda fortemente que você, ao invés de investir com ele, vá investir seu dinheiro no BANCO C, pois lá você vai encontrar taxas muito melhores que irão ser mais vantajosas para você.

Quais as chances de isso acontecer?

Quase zero!

Obviamente, ao optar por determinado banco, você terá a sua disposição somente as alternativas daquela instituição, sem saber ao certo se são realmente as melhores alternativas para você.

Já o que as corretoras fazem é o seguinte: elas vão no mercado procurar várias instituições financeiras para distribuir os produtos de investimento (fundos, CDB, LCI, LCA) dessas instituições e oferecer para seus clientes.

Assim, quando você abre conta em uma corretora, você passa a ter disponível uma gama muito maior de opções de investimento, onde você pode analisar e decidir quais fazem mais sentido para você, levando em consideração prazos, liquidez, taxas de remuneração e instituições financeiras diferentes.

Como escolher uma boa corretora?


os segredos da mente milionaria 2

Agora que você já entendeu por que os bancos podem não ser o melhor lugar para investir, você pode continuar com a seguinte dúvida: “mas qual corretora devo escolher para fazer meus investimentos? ”

Essa é, provavelmente, uma das perguntas que mais escuto.

E a resposta, assim como em várias outras na área de investimentos é: DEPENDE!

Melhor do que algum especialista lhe dizer em qual corretora você deve investir é você entender por conta própria quais as características e serviços você irá necessitar como investidor.

Isso irá variar de acordo com o tipo de investimento que você pretende fazer, com qual frequência, por quanto tempo deixará o dinheiro investido, dentre outras características.

Até acredito que uma vez que o investidor reflete um pouco sobre esses aspectos, isso irá contribuir para seu aprendizado e lhe tornará um investidor muito mais experiente que a maioria.

Mas para facilitar todo o seu trabalho de pesquisa, listei abaixo as três principais características que você deve analisar na hora de abrir conta em uma corretora:

#1 – Segurança e Confiabilidade

 

 

mito 1

Você colocaria seu dinheiro nas mãos de quem você não confia?

Antes de abrir conta em uma instituição onde você irá movimentar boa parte dos seus recursos financeiros, é imprescindível que você analise se essa empresa é realmente confiável e segue normas de segurança exigidas.

Mas como saber se a corretora que você está pensando em abrir sua conta é uma instituição na qual você pode confiar?

Você deve se certificar de que essa instituição é autorizada a operar na Bolsa de Valores e se ela é regulamentada pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

Uma boa maneira de começar é entrando nesse link do site da BM&F BOVESPA onde você encontrará a lista de todas as corretoras que operam na nossa bolsa de valores.

Ou, caso você receba uma indicação de algum amigo sobre uma corretora muito boa, você deve se certificar de que ela é regulada pela CVM e está autorizada para funcionamento.

Você pode fazer isso através desse link para o site da CVM.

#2 – Custos e Despesas

 

 

#1

Você sabia que existem muitos custos e despesas na hora de investir, que passam despercebido pelos investidores e muitas vezes lhes causam grandes prejuízos?

Outro fator que pesa na hora de escolher uma corretora é entender quais são os custos e despesas que você deverá pagar para realizar suas operações e deixar seus ativos sob a custódia dessa instituição.

As principais despesas que incidem para o investidor são as taxas de corretagem; taxas de custódia e taxas de custódia para o Tesouro Direto

As taxas de corretagem são os custos para fazer alguma operação em bolsa de valores.

Ou seja, cada vez que você compra e vende uma ação, você irá pagar por essa taxa de corretagem.

Normalmente, as corretoras especificam essas despesas em seus próprios sites, onde você poderá encontrar com uma rápida pesquisa na área de preços.

Se você pretende fazer várias operações em bolsa, atuando com um trader, você deve ficar muito atento a esses custos, pois dependendo do preço da taxa de corretagem, seus ganhos podem ser bem reduzidos.

Mas se você pretende fazer investimentos mais espaçados, operando mais a longo prazo, esse preço, apesar de ser importante na hora da sua decisão, não precisará ser o fator mais importante a se analisar.

Já a taxa de custódia é a taxa que você paga para manter seus ativos sob a guarda da corretora.

Funciona mais ou menos como uma taxa de manutenção de contas.

Você também pode encontrar as informações sobre essa taxa de custódia no próprio site de cada corretora.

Você deve atentar que quanto menor for a taxa de custódia, menor será seu custo mensal de investimentos, e maior será seu retorno a longo prazo!

A última taxa que você paga é a taxa de custódia do tesouro direto, que é a taxa de manutenção cobrada pelas corretoras para custodiar seus investimentos no tesouro direto.

Essas taxas são normalmente bem pequenas, mas costumam variar muito de uma instituição para a outra.

Nesse link do site do Tesouro Direto, você consegue ver a lista das corretoras habilitadas para operar nessa plataforma, bem como as taxas cobradas por cada uma delas.

De início, você pode achar que uma diferença de 0,1% ao ano para 0,5% ao ano é pouca coisa, mas lembre-se: isso representa um custo 5 vezes maior nos seus investimentos! Então vale a pena ficar atento a essas taxas também.

#3 – Relatórios e Serviços de Apoio Oferecidos

 

 

investimentos

Um ponto que você já deve ficar atento logo de início: encontrar uma corretora com custos e taxas baixas é importante, mas não é o mais importante.

Principalmente se você está começando a investir.

Se você ainda não tem muita experiência com investimentos e está procurando oportunidades para aprender mais, é interessante abrir conta em uma corretora que produza bons relatórios de análises de cenário e de alternativas de aplicações.

Também pode valer a pena procurar instituições que ofereçam serviços de apoio onde você possa tirar dúvidas com os especialistas, assistir palestras online sobre determinados assuntos e até mesmo ver os experts ao vivo realizando os investimentos.

Isso com certeza lhe dará muito mais bagagem e confiança para começar a investir por conta própria.

Então, se você está dando seus primeiros passos para começar a investir, talvez você vá se sentir mais confortável começando por uma corretora que ofereça bons relatórios e serviços.

Infelizmente, essas corretoras costumam cobrar taxas mais caras.

O ideal para quem está começando é talvez encontrar um equilíbrio entre taxas cobradas e serviços prestados.

Mas eu garanto que com uma boa pesquisa na internet você terá as bases necessárias para fazer uma excelente escolha.

E você? Gostou desse post!?

Você já está pesquisando em qual corretora você vai abrir conta para começar a fazer seus investimentos?

Deixe abaixo seu comentário!

 

compartilhe:

Curtiu esse post?

Deixe seu email para receber gratuitamente os novos posts e dicas do blog!

autor: Davi Augusto

Formado em Comércio Exterior e em Administração, atua como educador financeiro e consultor de finanças pessoais e investimentos.

Post Relacionados